Entrevista com Otimar Bicalho: O que esperar do mercado imobiliário?

Tempo de leitura: 8 minutos

No atual momento em que vivemos, estamos todos cheios de dúvidas sobre o que vai acontecer: Quando a crise vai acabar? O que podemos esperar do mercado imobiliário?

Realizamos uma entrevista exclusiva com o ex Presidente da CMI Secovi e atual diretor de imobiliária Otimar Bicalho, onde abordamos temas como a polêmica lei da placa em Belo Horizonte,  uma possível nova Lei de Uso do Solo e as perspectivas para o futuro. Confira:

Leia também  Crise e o mercado imobiliário: Como sair por cima?

otimar-bicalho

Otimar Bicalho, é graduado em engenharia Mecânica pela UFMG, Engenharia Econômica pela IPUC em 1.971 e em engenharia Civil pela UFMG. Foi Diretor Comercial da Eutectic Indústrias Metalúrgicas, Supervisor de Operações da Texaco Brasil SA, Vereador da cidade de Horizonte, e membro da Diretoria da CMI, tendo exercido a presidência da CMI/SECOVI de 2014 a 2016. É empresário da construção civil, consultor da Legislação Imobiliária, corretor individual de negócios imobiliários e Diretor da Pitty Empreendimentos e Participações Ltda.

  1. Primeiramente agradeço a entrevista exclusiva à Universal Software. O Sr. está abrindo agora uma imobiliária. Como o você analisa o atual cenário do mercado imobiliário e quais as perspectivas para o futuro?

O mercado imobiliário sente profundamente a crise de falta de confiança nos negócios que hoje vivenciamos, a consequência imediata desta insegurança tem sido o baixo  lançamento de novas obras. Quando o empresário reduz seu investimento, o cliente acompanha e reduz sua disposição de assumir pagamento de longo prazo. A compra de um imóvel  gera um dos mais longos prazos de pagamento existentes no Brasil. Para esta decisão de comprar é preciso ter confiança no futuro. Confiança de que você vai estar empregado no futuro para poder pagar os compromissos assumidos. A conjugação da crise política, com a crise de confiança e o desemprego, travam o comprador de imóveis.

Estamos assistindo o encaminhamento da crise política para a normalidade, bem como alguns sinais de que as crises estão se arrefecendo, é um sinal que estamos no fim do poço, daqui para frente só podemos esperar melhoras, mas sem ilusão de que os bons tempos já estão aí. A retomada vai ser longa, demorada, mas vamos voltar a normalidade, pessoas não deixaram de contrair matrimônio, mudanças no estado civil continuam a acontecer, famílias se separam, pessoas ficam viúvas, mudam de emprego, etc. Todos estes fatores contribuem para aumentar a demanda por novas habitações.Quem  se preparar agora, puder resistir um pouco, estará bem colocado na retomada do mercado imobiliário. Daqui há um ano já vamos ver a diferença.

Hoje temos um estoque de apartamentos em BH próximo de 4.500 unidades, e a venda deve estar por volta de 280 a 300 unidades mês. Se todos parassem de construir na Capital, em pouco mais de um ano o estoque acabaria. Duas coisas podem acontecer, a primeira é um grande incremento do mercado de imóveis usados, que hoje já representa 60% das vendas mensais. Em segundo lugar, um grande aumento de preços nos imóveis novos em função do baixo estoque, e  que ainda devem ser incrementados pelos novos custos de uma possível nova Lei de Uso do Solo ,ora em tramitação na Câmara Municipal.

  1. Na sua opinião, qual a importância de um site responsivo para imobiliárias? Quais outras estratégias de marketing são essenciais para esse mercado?

Em um Site responsivo, ou seja, aquele que permite uma busca tanto pelo computador quanto por celulares ou tablets, vem ao encontro das facilidades que o cliente busca hoje.

Leia também  Por que minha imobiliária precisa de um site responsivo?
  1. Como você vê a importância de um CRM para imobiliárias? Como pode ajudar no dia a dia dos profissionais?

O momento mais calmo de que estamos vivendo é propício para que as empresas imobiliárias, tanto da venda quanto da locação, possam atualizar suas ferramentas de trabalho que visem mais facilidades ao cliente. Da mesma forma, é oportuno que tenhamos uma ferramenta que nos permita de forma mais amigável fazer a gestão dos clientes no nosso escritório. Hoje, mais do que nunca, achar o cliente certo para o imóvel que o mesmo procura, é facilitar o nosso trabalho e aumentar consideravelmente a chance de sucesso numa negociação.

  1. Você foi o último presidente do CMI – Secovi de Minas Gerais. Na visão de presidente e com sua experiência, você entende que o mercado imobiliário precisa profissionalizar sua gestão e melhorar a qualidade da informação dentro das imobiliárias?

Sim fui o último presidente da CMI-Secovi, concluí minha gestão em 30 de março último, duas prioridades seriam recomendadas. A primeira, sem dúvidas, seria uma evolução da gestão, isto inclui certamente o nível de informação nas empresas. Impressiona muito bem ao cliente quando rapidamente você responde a ele diante de um questionamento Por exemplo: você tem apartamento a venda no Bairro Santa Teresa, procuro um 3 quartos até 500 mil. Sua resposta pode ser em 3 minutos ou levar um dia, dizendo por exemplo “vou pesquisar  e te ligo amanhã”. E amanhã pode ser tarde demais para segurar um cliente, não dando a ele a primeira boa  impressão de eficiência e profissionalismo.

Para a gestão da empresa, seja de que tamanho for, tem que ser eficiente. As informações devem ser acessíveis e o funcionário tem que saber utilizá-las. Em segundo lugar, o corretor tem que saber obter do comprador a definição correta do imóvel que ele procura. Saber antes se ele deseja morar perto de uma escola para os filhos, ou perto do trabalho , ou perto da linha de ônibus, se faz questão de infra estrutura de lazer no prédio, etc. Se o corretor não se aprofundar no desejo do comprador, a venda fica muito mais difícil.

  1. Hoje em dia é muito importante ter um CRM para obter melhores resultados. Você acha que isso é um caminho sem volta? Ou seja, o mercado imobiliário vai caminhar para essa direção?

Acho que a gestão dos clientes é uma evolução irreversível para o bom atendimento ao cliente comprador, daqui a pouco muitas corretoras terão esta ferramenta, e a diferença vai aparecer para a empresa que não tiver.

  1. Qual sua opinião sobre a Lei da Placa, aprovada em 2015 pela Câmara Municipal de Belo Horizonte? Como isso impacta no mercado imobiliário?

A Lei da Placa, que permite a existência de apenas um adesivo na janela do apartamento com indicação de venda e outro com indicação de aluguel, não conta com o entusiasmo da Prefeitura Municipal. Vimos isto quando da palestra da Prefeitura de Belo Horizonte na sede da CMI, ainda na minha gestão. As próprias corretoras não assumirão responsabilidade com a Lei, que poderia ajudar em muito na EXCLUSIVIDADE. Na verdade, não sei se as corretoras defendem de verdade o sentido da exclusividade. Sem o apoio ostensivo das  corretoras, ela não ocorrerá e a lei das placas não se efetivará. As grandes corretoras certamente são a favor dela, mas as médias e as pequenas não veem vantagem na exclusividade. Se ficarmos esperando pela fiscalização da PBH, esta lei não se efetivará, faltam fiscais para cobrá-la, ela somente poderá ter alguma efetividade através de denúncias.

  1. Deixe uma mensagem para aqueles que estão começando agora a carreira de corretor de imóveis.

Deixo aqui a impressão que tenho da corretagem imobiliária: O corretor não pode se contentar em ser um mostrador de imóveis. Precisa entrar no sonho do comprador, saber o que ele precisa, o que é importante para determinada família, o bairro, as vizinhanças, tudo que envolve uma decisão que o comprador deve decidir, na média em apenas duas vezes na vida. Deixe de vender o picolé, venda o sabor dele. Não venda um automóvel , mas o prazer de dirigí-lo. Se for vender um imóvel não residencial, conheça todas as possibilidades e limitações da Lei de Uso para o local. E se precisar, recorra a quem conheça a legislação para atender ao seu cliente.

 

2 Comentários


  1. Muito interessante o site.
    Estou disposto a estudar sobre o ramo de corretor e fazer uma graduação de gestão de imóveis para poder aproveitar o novo ciclo do MERCADO imobiliário. O que acha da idéia é qual o caminho inicial a ser trilhado? Obrigado desde já.

    Responder

    1. Carlos Henrique, que bom que gostou do nosso Blog. O Mercado Imobiliário é realmente fascinante 🙂 O caminho inicial é O T.T.I (Curso Técnico de transações imobiliárias). Você consegue obter mais informações sobre carga horaria e valores no Creci, Sindimóveis ou Secovi da sua região.

      Além disso não deixe de acompanhar conteúdos gratuitos na Internet que são sempre uma fonte extra de aprendizado muito rica.
      abs e conte conosco

      Responder

Deixe uma resposta para Pedro Henrique Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *