Pay-per-use no mercado imobiliário

Tempo de leitura: 4 minutos

O aprimoramento do acesso às tecnologias, a busca por independência financeira e o aumento da expectativa de vida  são alguns dos principais fatores que comandam as mudanças do comportamento do consumidor e regem as tendências de mercado. Uma delas, que chegou com força no Brasil, é o pay-per-use.

O que é pay-per-use?

Pay-per-use quer dizer “pagar pelo uso”, ou seja, vários serviços são oferecidos,  o usuário paga conforme sua demanda.

Grandes condomínios em todo Brasil adotaram essa estratégia para oferecer comodidade aos moradores, que tem cada vez menos tempo e estão mais dispostos a pagar por serviços que facilitem sua vida.

Estes serviços são diferenciados e vão de serviços de limpeza e arrumação, recreação infantil, cuidados com animais domésticos a serviços de lavanderia, chaveiro, e até personal trainer.

A tendência é aumentar cada vez mais a gama de serviços pay per use. “É cada vez maior a procura por apartamentos menores, como loft e estúdio, por solteiros e casais sem filhos, que não têm tempo para cuidar das tarefas domésticas. Moradores de “condomínios-clube” também procuram por esse tipo de serviço, até pela segurança” diz Gilberto Vespúcio, diretor da GW Administração de Condomínios.

Vantagens do Pay-per-use

O pey-per-use oferece várias vantagens para ambas as partes, tais como:

  • Maior comodidade aos condôminos;
  • Não onera o custo do condomínio como um todo, já que os serviços extras serão pagos apenas por quem utilizar;
  • Facilidade de pagamento, que pode ser feito por meio do boleto do próprio condomínio. Isto também facilita a vida do morador, que não precisa pagar a cada atendimento separadamente.

Vale ressaltar que não somente imóveis residenciais podem oferecer esses serviços, mas também os comerciais. É possível oferecer às empresas serviços como internet, TV a cabo e limpeza, com preços mais acessíveis, e claro, com mais comodidade.

Pay-per-use na prática

A contratação do pay per use é uma tendência principalmente em condomínios de alto padrão, pela qualidade e padronização, contribuindo também para a valorização do empreendimento e do investimento realizado.

Veja como o pay-per-use já se tornou realidade em várias partes do Brasil:

Serviços de Limpeza

A franquia da Jani-King no Brasil (empresa de impeza profissional) oferece a contração de  serviços domésticos pelo sistema pay per use. Entre as opções do serviço estão: arrumação pós-mudança, faxina, limpeza de vidros, limpeza pós-reforma, limpeza pós-festa, limpeza de churrasqueira e arrumação básica. Também é possível solicitar serviços de copeira e garçom. O condômino contrata o serviço desejado sem burocracia ou obrigações contratuais.

Setin Downtown Estação da Luz

O lançamento imobiliário, Setin Downtown Estação da Luz, da Setin Incorporadora, em São Paulo, é um exemplo de apartamento compacto que oferece aos moradores os serviços de pay-per-use. Entre as opções de serviços estão: lavanderia, concierge, delivery de supermercados, restaurantes e lojas, personal trainer, entre muitos outros.

AG7 Realty e BKO Incorporadora

Alguns empreendimentos da AG7 Realty e BKO Incorporadora em São Paulo, são outros exemplos. De acordo com o gerente comercial da AG7 Realty, Thiago Sebastian, essa é uma tendência por facilitar o cotidiano das pessoas, cada vez mais agitado. “Quanto menos tempo elas têm, mais precisam terceirizar serviços. Com isso, ganha-se em qualidade de vida”, destaca.

O morador pode contar com diarista, lavanderia, uma pessoa para passear com o cachorro e personal trainer. “Outros profissionais como encanador e eletricista podem ser contratados por meio do concierge, que vão fazer a manutenção do prédio. Assim, o morador tem a confiança de contratar um profissional que vai fazer um trabalho bem feito”, comenta Sebastian. Os serviços são pagos apenas quando solicitados e o valor é adicionado à taxa de condomínio, sem nenhum ônus.

Conclusão

Todo mercado precisa estar atento à tendências de comportamento, para se adaptar e atender cada vez melhor seu público. O pay-per-use no mercado imobiliário, é o reflexo de longo prazo da mudança no comportamento das pessoas. Que vem acontecendo há algum tempo: falta de tempo, trânsitos caóticos, avanço da tecnologia, etc, resultaram em condomínios mais completos.

Como acha que o mercado imobiliário tem lidado com tendencias e necessidades do consumidor? Está tento ou muito lento para reagir? Vamos conversar nos comentários.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *