Sustentabilidade no mercado imobiliário: entenda essa tendência

Tempo de leitura: 5 minutos

Sustentabilidade á a palavra da vez, e essa tendência chegou também ao mercado imobiliário. Além dos benefícios ambientais, a implantação de técnicas sustentáveis em imóveis e condomínios, pode diminuir os custos como de energia e água, e melhorar a qualidade de vida dos moradores.

Se até pouco tempo atrás, o setor imobiliário era considerado o inimigo número um da sustentabilidade, devido às atividades de extração de matéria-prima e à grande quantidade de resíduos e entulhos gerada pelas construções de imóveis, nos últimos anos essa visão está mudando.  Práticas estão sendo adotadas, do canteiro de obras ao fornecimento de energia dos condomínios.  Para se ter uma ideia, atualmente o Brasil ocupa o 4º lugar no ranking mundial de empreendimentos sustentáveis, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, China e Emirados Árabes.

Como um empreendimento pode ser sustentável?

 Como um empreendimento pode ser sustentável?

A conselheira federal do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), Lana Jubé, explicou em uma matéria para o site G1 que, para serem considerados sustentáveis, os empreendimentos precisam observar três questões básicas: gerenciamento da água, o consumo de energia limpa e o reaproveitamento máximo, gerando o mínimo de lixo.

Algumas práticas e mecanismos que vêm sendo adotados, são:

  • Chão constituído por lajotas permeáveis;
  • Horta orgânica;
  • Manual de boas práticas entregue a cada novo morador para incentivar que as casas construídas no local utilizem o mesmo sistema;
  • Usina geradora de energia fotovoltaica;
  • Neutralização do carbono gerado na obra;
  • Reaproveitamento da água da chuva para irrigação de jardins e horta;
  • Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS para separação e destinação correta dos resíduos gerados;
  • Transformação de resíduos orgânicos em adubo para jardins e hortas, por meio de compostagem;
  • Tratamento de esgoto natural, através de bacias de evapotranspiração;
  • Reciclagem de resíduos e entulhos, oriundos da construção civil;
  • Dentre outros.

Hoje existem empresas especializadas em projetos sustentáveis para condomínios e residências, mas também é possível implementar ações simples, como coleta seletiva, utilização de metais sanitários eficientes, controle do tabaco, limpeza “verde” com o uso de produtos sem cloro, troca de lâmpadas, substituição por torneiras automáticas e etc.

Clique aqui e veja como iniciar um trabalho de sustentabilidade no condomínio.

Certificações ambientais

Certificações ambientais

Novos empreendimentos no Brasil e no mundo, estão sendo desenvolvidos com características inovadoras que visam imprimir o menor impacto ambiental possível. Estas construções podem ser identificadas com certificados ambientais. No Brasil, são aplicadas atualmente duas certificações ambientais: o Aqua e o Leed (Leadership in Energy and Environmental Design), de origem americana. Há ainda os selos Sustentax e Procel Edifica, ambos brasileiros.

Case no Brasil

O primeiro condomínio residencial do Brasil a aproveitar os benefícios de produzir a própria energia, ajudar no abastecimento da região e ainda ganhar um desconto na conta no fim do mês, está em Florianópolis.

Vivá Residence Cacupé, lançado no final de 2013
Vivá Residence Cacupé, lançado no final de 2013

O empreendimento tem 28 placas fotovoltaicas que fornecem 90% da eletricidade consumida nas áreas comuns do condomínio – o restante é repassado ao sistema que alimenta o bairro. Além disso conta com outros itens que o caracterizam como empreendimento sustentável.

Como esta tendência pode me ajudar vender mais?

Como esta tendência pode me ajudar vender mais?

Uma pesquisa realizada pela Even confirmou o quanto a preocupação ambiental se tornou relevante nas vendas de empreendimentos nos dias de hoje. A análise foi feita com 1.200 potenciais compradores de imóveis residenciais em São Paulo durante um ano, e revelou que mais de 60% deles consideram que a sustentabilidade influencia totalmente ou muito na compra de um imóvel.

Para Hamilton de França Leite Junior, diretor de Sustentabilidade do Secovi-SP, “Quem construir empreendimentos sustentáveis sai na frente”. Segundo ele, os jovens de hoje vão exigir que os imóveis tenham uma estrutura de preservação ambiental no futuro. Desta maneira, as empresas que começarem hoje vão ganhar mercado e experiência para alcançar melhor posição na competitividade daqui a alguns anos.

Outro perfil de cliente interessado neste tipo de empreendimentos, são os proprietários de imóveis comerciais. Atualmente, 45% dos edifícios registrados para certificação são prédios desta categoria. Isso porque, apesar do investimento ser mais alto, o proprietário adquire o empreendimento sabendo que terá uma rentabilidade maior, já que o locatário valoriza os benefícios que o prédio traz em longo prazo.

O retorno financeiro ao longo de 20 anos, pode chegar a  10 vezes mais do que o investimento adicional gasto na compra do imóvel, o que é uma motivação para o comprador adquirir o empreendimento.

Logo, se a imobiliária consegue mostrar o valor deste tipo de empreendimento ao cliente, e a economia de longo prazo que ele pode ter, esta á uma grande oportunidade de argumento de vendas.

Conclusão

Os consumidores brasileiros estão cada vez mais atentos à questão da sustentabilidade. Não se trata apenas de uma forma de colaborar com o meio ambiente ou uma conscientização maior, mas uma maneira de gerar também economia nas despesas de água, luz e condomínio, por exemplo, e, por consequência, proporcionar lucros. Com esse panorama, os chamados edifícios verdes têm alcançado destaque nos rumos do mercado imobiliário.

E você, acredita que a sustentabilidade é uma tendência no mercado imobiliário? O futuro dos empreendimentos é prezar pela economia de água e energia? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *